Assuntos de interesse da comunidade são debatidos no Parlamento Jovem
Vereadores se reuniram na segunda-feira (4)
por Redação 06/11/2019 às 14:52 Atualizado em 06/11/2019 às 15:58

Mais uma vez os vereadores jovens de Indaial usaram a Tribuna, na reunião de segunda-feira (4), para abordar assuntos de interesse da comunidade, como a campanha Novembro Azul, a acessibilidade, a transfobia, e os avanços tecnológicos. 

O vereador jovem Kelvin Macedo discursou sobre o Novembro Azul, campanha dedicada à conscientização e à prevenção das doenças masculinas, como o câncer de próstata. Segundo ele, a campanha no Brasil foi criada para “quebrar o preconceito masculino de ir ao médico”. 

O estudante Raul Noetzold, por sua vez, falou sobre a necessidade de implementar a acessibilidade nas ruas e estabelecimentos. O vereador jovem destacou que cerca de 24% da população brasileira tem algum tipo de deficiência, e que as vias e os estabelecimentos do nosso município não estão adaptados para eles. Por fim, Raul instigou os vereadores jovens a fazerem sua parte “já que nos foi entregada e confiada a função de representar e ir atrás da solução”.

Outro assunto abordado foi a transfobia, uma série de atitudes negativas contra travestis, transexuais, não binárias, ageneras, entre outros. A vereadora jovem Maria Clara Stolf Bortoluzzi explicou que as vítimas são “ridicularizadas, ameaçadas, violentadas, assediadas” e, muitas vezes, “são recusadas em alguns estabelecimentos, são discriminadas na área de trabalho, e até demitidas por conta disso”. Concluindo, a estudante destacou a importância de debater o tema, “para todos terem o direito de ser quem são de verdade”.

Por último, o estudante Paulo Antônio Silva de Lima falou sobre os benefícios e malefícios dos avanços tecnológicos. Para ele, “ao mesmo tempo em que facilitam nossa comunicação, reduzem ou eliminam distâncias, (os avanços tecnológicos) nos tornam cada vez mais solitários”. Além disso, ressaltou que é preciso “ter bom senso para aproveitar ao máximo toda essa comodidade e conhecimento, sem se deixar dominar e ser atingido pelos malefícios que ela pode trazer”, referindo-se a alguns “perigos” que a internet pode proporcionar.