Na Tribuna, prefeito fala sobre as dívidas do HBR
A intervenção da Prefeitura na administração do Hospital Beatriz Ramos ocorreu no dia 18 de março, após a Justiça Federal determinar o leilão do prédio, em razão de dívidas tributárias do hospital
por Redação 14/05/2019 às 14:15 Atualizado em 14/05/2019 às 14:23


Quase dois meses após a intervenção da Prefeitura na administração do Hospital Beatriz Ramos, o prefeito de Indaial, André Moser (PSDB), usou a Tribuna da Câmara, na sessão desta segunda-feira (13), para prestar esclarecimentos sobre a atual situação do hospital. A intervenção ocorreu no dia 18 de março, após a Justiça Federal determinar o leilão do prédio, em razão de dívidas tributárias do hospital. O leilão foi suspenso em março e a prefeitura vem trabalhando desde então para parcelar as dívidas.

De acordo com o prefeito, a dívida acumulada do Hospital Beatriz Ramos está em R$17,6 milhões. Deste valor, cerca de R$3,7 milhões são devidos a fornecedores; R$5,9 milhões são obrigações trabalhistas; R$5,3 milhões são obrigações tributárias; R$2,4 milhões são de ações trabalhistas; entre outras dívidas.  

O prefeito acredita que a queda de receita e o consequente aumento das dívidas ocorreram exclusivamente devido à fuga de serviços do Hospital Beatriz Ramos. “Nós tivemos, principalmente nos dois últimos anos, uma queda drástica de procedimentos cirúrgicos, de convênios, e de outros procedimentos que poderiam gerar retorno financeiro a ponto de equilibrar as receitas”, apontou.

Por fim, Moser atribuiu a todos os agentes políticos do município o desafio de recuperar o Hospital Beatriz Ramos, que “há mais de 60 anos faz parte da história de Indaial”.