Na Tribuna, Volnei Gomes fala sobre área pública que seria destinada ao CRAD
O presidente do CRAD usou a Tribuna na sessão de segunda-feira, dia 29
por Redação 02/05/2019 às 13:30

Duas semanas após os moradores do João Paulo II reivindicarem a revogação da lei 5.630/2019, que autoriza o município a ceder, pelo período de 30 anos, áreas públicas localizadas nas ruas São Roque e Santo Tomás de Aquino ao CRAD. C. T. Filhos de Deus, o presidente do Centro, Volnei Pereira Gomes, usou o espaço da Tribuna para esclarecer o ocorrido.

Durante a sessão ordinária desta segunda-feira (29), Gomes lembrou que a área do João Paulo II estava sem projeto e sem uso, e por isso foi cedida para a construção de uma nova unidade do CRAD. 

Ele também falou um pouco sobre o funcionamento da entidade, explicando que não se trata de uma instituição privada, mas associação civil organizada sem fins lucrativos. Segundo Gomes, as pessoas que buscam tratamento no Centro passam por uma rigorosa triagem, de 20 a 40 dias, na unidade do bairro Encano do Norte, com desintoxicação, adaptação e avaliação para continuar o tratamento em outra unidade do CRAD.

O presidente ainda informou que o pagamento das mensalidades dos internos ao CRAD é feito, na maioria das vezes, com os recursos do auxílio doença ou, quando o paciente não tem direito ao benefício, com um valor de contribuição, estipulado após entrevista com a família. Além disso, a Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas determina que as comunidades devem designar 10% das vagas para o atendimento social. “Como temos 35 leitos, deveríamos ter quatro vagas. Hoje temos seis pessoas carentes se tratando no Centro de Reabilitação, recebendo do creme dental ao atendimento psicológico, sem nenhum custo”, destacou.   

Em outro momento do pronunciamento, Gomes lembrou que o CRAD desenvolve suas atividades em Indaial há três anos, sem pedir praticamente nada aos governos municipal, estadual e federal. Ele agradeceu ao prefeito André Moser e aos vereadores pela iniciativa e pela aprovação do projeto lei que cedia o espaço ao CRAD, no entanto informou que o Centro “não usufruirá da área no bairro João Paulo II e de nenhuma outra área situada na cidade de Indaial”. Por fim, lamentou a forma como o debate para a revogação da lei foi conduzido e informou que outras duas cidades da região solicitaram a instalação do Centro. 

Assuntos: Geral